Gentoo Linux: Aventura

 

Há já alguns anos que uso Linux. Linux é simplesmente fantástico e não trocaria por nada deste mundo. Foi uma aventura começar e todos os dias é uma aventura nova, tentando sempre descobrir novas e melhores formas de fazer as coisas, desde os scripts em bash e aos crontabs, até à criação de um DVD. O que me leva a gostar ainda mais de trabalhar em Linux é todos os dias seguir sempre uma linha de pensamento:

 

O que pode o meu Sistema Operativo fazer hoje por mim?

Quando começei, usei RedHat, que posteriormente passou a suportar o Fedora Core, versão que usei até à 3. Quando saiu a versão 4 do Fedora Core, deixei de gostar e decidi experimentar outra distribuição. Já tinha ouvido falar no Gentoo Linux e decidi experimentar. Sabia que para um principiante de Linux era complicado (não me podia considerar um expert usando linux hà menos de 2 anos e meio), mas decidi dar-lhe uma oportunidade. Desde essa primeira tentativa e durante essa semana, devo ter instalado o Gentoo pelo menos umas 7 vezes… e atenção, que todos os pacotes são compilados! Após esse tempo de compilação, tive a minha primeira desistência…

Decidi então, experimentar uma distribuição chamada VidaLinux, que é baseada em Gentoo. Quando instalada (com os pacotes já compilados), fica já com ambiente gráfico e toda prontinha a trabalhar. Quando decidi actualizar o sistema, foi quando dei cabo de tudo novamente…

Como um cobarde, voltei novamente ao Fedora. Três dias mais tarde decidi dar uma nova oportunidade ao Gentoo. Li o manual, consultei os foruns, o Wiki e lá consegui colocar as coisas a funcionar. Até hoje, o Gentoo está sempre a funcionar e rápidamente. As coisas que me impressionaram muito foi a quantidade de documentação existente (sendo efectivamente uma das distribuições com mais documentação) e o facto de ser tudo acerca de escolhas. Quando o Gentoo pergunta como queremos, é realmente como queremos e nãoo como ele quer. Com o Gentoo, somos nós que instalamos o que queremos e configuramos como queremos e não o contrário. O controlo que o utilizador tem sobre o S.O é realmente poderoso.

Um primeiro medo sobre as pessoas que começam a usar Gentoo pela primeira vez deve ser (pelo menos comigo foi) compilar o Kernel manualmente. Inicialmente usei o Genkernel (ferramenta do Gentoo que configura e compila o kernel automaticamente), mas depois começei a ver que era muita coisa em memoria que eu nao usava e algumas opções no Kernel estavam erradas. Dei então uma oportunidade a mim mesmo e compilei o kernel manualmente.

Foi canja

O Gentoo é uma distribuição que pode meter medo inicialmente, mas quando lhe dão uma oportunidade, não se arrependem. Demora tempo a estar pronto,é verdade, mas no final é muito gratificante. Graças ao Gentoo aprendi muita coisa em Linux que não sabia. O facto de andar a compilar pacotes e a configurar quase tudo manualmente, Dá trabalho, mas aprende-se muito.

Vejam também um documento escrito por alguém que experimentou, mas que não gostou. Não é tudo um mar de rosas e o Linux é acima de tudo, escolhas!

Deixo-vos aqui alguns links do Gentoo para poderem dar uma vista de olhos e quem sabe, experimentar. Devo avisar que, o Gentoo infelizmente, mas cada vez esté melhor, nã é para principiantes ao Linux, porque podem desistir  à primeira tentativa. Tentem o Ubuntu, o Fedora Core, o openSUSE ou mesmo o Mandriva. São distribuições mais "suaves" e apropriadas para a trânsçao de windows para Linux.

Espero que se decidirem tentar, se divirtam tanto como eu!

Deixo aqui um screenshot do meu gentoo, do portatil, e dois do Gentoo que uso no hospital (o meu local de trabalho).

Até à Vista?

Há um tempo atrás, um senhor da Microsoft foi fazer uma apresentação do novo windows, o chamado Vista. Claro esté, eu tive que ir ver a apresentação, e realmente, aquilo que vi foi uma imitação das funcionalidades já existentes noutros sistemas operativos. O que mais me fascinou (estou a ser irónico) foi a forma como esse senhor, que devo dizer, grande lábia, ilucidou os meus colegas ADORADORES de windows que estavam lá a ver, com as novas funcionalidades (visiveis) que o fantástico Vista vai trazer.

Enquanto estava a ouvir atentamente estas novas funcionalidades (novas….?? para o windows são), estava-me a rir, e a pensar que o meu Querido Linux com Gnome já faz isso à muito tempo.

A seguinte tabela mostra as “novas” funcionalidades do Vista:

“Novidades” do Vista Equivalente em Linux
Instant Search Beagle
Aero Interface Xgl
Desktop Widgets SuperKaramba/gDesklets
Network Explorer Bonjour
Built-in firewall Built-in firewall
BitLocker Built-in filesystem encryption
IE7 Tabbed Browser Firefox Tabbed Browser
Avalon graphics Cairo graphics
XAML GUIs XUL GUIs
Automatic Updates Automatic Updates
(in LXF 82 – August 2006)
Passo a explicar algumas delas:

Gráficos Fantásticos

A microsoft gaba-se com a nova interface gráfica chamada ‘Aero’, que adiciona uns efeitos 3D à interface do utilizador. Realmente, melhora o aspecto, mas não tem nada de semelhante com a interface 3D, com aceleração por hardware que o Mac OS X introduziu há alguns anos atrás. Isso mesmo, há anos…

Mesmo assim, nem pegando no melhor do vista e do Mac OS X conseguem chegar perto do que o XGL consegue fazer. Após ser desenvolvido durante alguns anos, o XGL trás agora ao Linux a verdadeira aceleração gráfica por hardware no desktop.

Segurança

Quando o windows XP foi lançado, a Microsoft prometeu algumas novas funcionalidades no respeito à segurança. Em Agosto de 2004, foi lançado o “Windows XP Service Pack 2” com avançadas tecnologias de segurança. Apesar de todo este markting, muitos utilizadores de Windows continuam a sofrer de spyware, adware e virus, forçando-os a “comprar” produtos contra estas viroses.

A Microsoft anunciou que o Windows Vista inclue funcionalidades de segurança que o tornam ainda mais seguro que os seus antecessores. São só promessas, como os anteriores, mas desta vez, anunciam inovações ao ní­vel das contas dos utilizadores e encriptação do sistema de ficheiros.

Muitos Windows XP estão configurados de forma a deixar que os utilizadores possam instalar e remover software. Com o Vista, apenas o administrador terá estes previlégios, e outros utilizadores apenas serão capazes de correr alguns programas e trabalhar com os seus proprios ficheiros. É uma grande ideia, tão grande que em Linux isso está em uso desde os seus primeiros tempos. Sim, o Vista vai ter uma segurançaa ao estilo Unix/Linux, que vai tornar as maquinas windows um pouco mais seguras…

Para terminar, estas são apenas algumas das funcionalidades tão anunciadas pela microsoft que já existem em Linux há muitos anos. Existem outras, tais como, navegação na internet com várias páginas na mesma janela – Usem o firefox; GUI’s (Graphical User Interface) vectorizados – o Gnome já tem isso há anos com o Cairo. Actualizações automáticas – Há 5 anos que existe isso em linux.

Existem agora outras funcionalidades que o Vista não tem: Um sistema de ficheiros que não precise de desfragmentação ou que seja automática sem necessitar da intervenção do utilizador; Clientes de email à prova de virús; Virtualização embutida; uma escolha de ambientes de trabalho (Gnome, KDE, Fluxbox, XFCE, etc…) e claro está, centenas de gigabytes de software gratuito e um mundo inteiro para os ajudar….

Todo este post foi baseado na noticia publicada na Linux Format 82, August 2006