Ecologia ao alcance de todos

Um informático não é apenas um geek que se senta frente ao computador e passa horas a fio a fazer qualquer coisa com ele. Qualquer pessoa hoje em dia faz qualquer coisa (o que desejar) com um computador, e todos nós, pelo menos uma vez por dia, faz uma pesquisa na internet. Todas as pessoas têm consciência, uns mais que outros, e todos somos um pouco ecológicos e preocupamo-nos com o meio ambiente e quase todos acreditamos que o aquecimento global não é um mito como alguns nos querem fazer acreditar. Força Al Gore!

Agora, já todos podemos ajudar a reduzir o efeito estufa, ajudando a enviar mais oxigénio para a atmosfera (pensando em grande, claro). Existe um motor de busca, baseado na tecnologia da Yahoo, que, ao fazermos umas quantas pesquisas, estamos a ajudar a plantar uma árvore na floresta Amazónia.

Esse motor chama-se Ecoogler – "The ecological Search engine".

Mas, o que é o Ecoogler ? Segundo o próprio motor de busca:

"Ecoogler is a search engine that uses Yahoo technology and helps reforesting trees and safeguard water resources in the Amazon region, which constitute today one fourth of the fresh water reserves of our planet."

Ajudem, não custa nada. Por baixo é Yahoo, por isso os resultados serão sempre de confiança. Façam dela a vossa home page. Usem e abusem das pesquisas. Vamos todos salvar o planeta !

Para quem não saiba, a reflorestação ajuda a que as reservas de àgua sejam mantidas!

DHCP Failover e Load Balancing

Tendo configurado o primeiro servidor de LTSP, passei para a configuração do segundo, para criar um sistema LTSP de alta-disponibilidade. Todos os dias são cerca de 60 utilizadores a executar tarefas importantes (ex: a alta e o internamento dos doentes) e o sistema não pode falhar. Básicamente, este sistema permite distribuir a carga pelos dois servidores e fornecer alguma segurança no caso de um dos servidores falhar.

(more…)

Imprimir para Fax desde o OpenOffice

No meu local de trabalho existem inúmeras máquinas de fax. Para um utilizador enviar um fax, tem que imprimir o documento (gasta uma folha, ou várias, conforme) e tem que se deslocar ao fax e enviar. Depois, o que acontece às folhas? Lixo com elas. É claramente um desperdício. Assim, há alguns anos implementei um servidor de fax, em Linux. O Hylafax é realmente extraordinário, tem inúmeras funcionalidades e acima de tudo, é gratuito.

(more…)

Ubuntu, truques e dicas

Após ter instalado o Ubuntu para os terminais LTSP, chega a parte da personalização. Pessoalmente, não gosto do Ubuntu, mas não significa que não seja uma boa distribuição. Durante o tempo que demorei a personalizar (e aquando da escrita deste pequeno texto, ainda o estou a personalizar) fiquei a saber algumas coisinhas sobre esta distribuição.

Neste pequeno howto, vou explicar como personalizei a criação de utilizadores, preferências do firefox (plugins, mimeTypes, ligações) e mais alguns detalhes necessários na minha instalação de LTSP.

(more…)

Ubuntu, a aventura com o LTSP

Ubuntu, a distribuição de Linux mais usada no mundo. Simples de usar, agradável à vista, facilita muito quem pretende deixar o windows e mudar-se para melhor.

No HAL, como já coloquei aqui, temos uma instalação de LTSP 4.2. Esta versão, muito estável, é complicadissima de configurar alguns detalhes, tais como as aplicações locais. O LTSP vai na versão 5.0, embora ainda só esteja a funcionar em pleno no Ubuntu 7.10. Assim, decidimos avançar com esta versão para os nossos utilizadores e deixar a instalação do OpenSuse 10.3 com LTSP 4.2.

 

(more…)

A praga do Office 2007 e dos .docx em Linux

Como todos sabemos, o office 2007 já anda por aí. Como informático numa instituição cujos funcionários recebem imensos emails das mais variadas fontes, era inevitável que começassem a aparecer os demoníacos ficheiros do office 2007, os .docx. Por enquanto, o office 2007 não é uma opção para nós. Então, como abrir esses ficheiros? Em windows aposto que existem inumeros programas para os abrir, mas para Linux a conversa é outra. Como fazer para os abrir?

Como sabemos, estes ficheiros são XML, e em Linux aparecem como ficheiros comprimidos e qualquer programa de descompressão de ficheiros (ark, file roller, etc…) pode abrir esses ficheiros.

Imaginemos que temos um ficheiro chamado TuxMachine.docx; Podemos descomprimi-lo e entrar dentro da directoria criada (TuxMachine.docx_FILES). Seguidamente, vemos uma directoria chamada word. Entramos nessa directoria e vemos um ficheiro chamado document.xml. Para o abrir-mos, basta renomear esse ficheiro para document.html e abrir através de qualquer browser (Firefox, Konqueror, Opera, Mozilla, etc…). A partir deste momento, podemos ler qualquer documento .docx e copiar e colar o seu conteúdo. É verdade que a formatação perde-se, mas o essencial está lá. Mais simples ainda, é usar uma ferramenta gráfica (ark, file roller) que permite navegar dentro do ficheiro sem o descomprimir e ir directamente ao ficheiro document.xml e descompactar apenas esse para o ambiente de trabalho, renomear e visualizar.

Este hack foi encontrado na revista Linux Format 98, tendo sido submetido pelo leitor Leslie Scheelings da Holanda.

Caso de Estudo do OpenOffice no HAL

No hospital usamos o OpenOffice desde a primeira versão com que foi lançado. Na altura em RedHat 9, já tinhamos o OpenOffice em inglês. Posteriormente, e com o uso do LTSP no nosso hopsital, e felizmente já havia a tradução, colocámos também à disposição dos nossos utilizadores de Linux e, para que pudessem trocar de documentos os utilizadores de Linux com os de Windows, instalámos também nos clientes windows. Na altura, efectuamos um caso de estudo e que enviámos para a página portuguesa do OpenOffice.Foi publicado. Neste momento, não consigo encontrar a página para colocar aqui, o que me entristece imenso, pois devo confessar que a página do OpenOffice Portugal está realmente muito pobre. Segundo a própria página, este projecto passou para a Caixa Mágica:

"Após 5 anos de liderança do OOoPT, o projecto mudou de líder, passando para a Caixa Mágica. Este site será brevemente inutilizado e dever-se-à usar o site global OpenOffice.org"

Pode ser que fique melhor.

Entretanto e após a saída da versão 2, fizemos a actualização do OpenOffice e re-escrevemos o nosso caso de estudo, reflectindo as alterações e as conclusões a que chegámos com esta nova versão.

Podem ler aqui mesmo o nosso caso do HAL. Assim que pudermos, iremos colocar na página do OOo PT, mas até lá, deixo-vos com o estudo aqui.

Bom Open Source.